domingo, 24 de agosto de 2008

Oficina de Quadrinhos

Sábado passado fui convidado a ministrar uma palestra na "Oficina de Quadrinhos" da Ceilândia. A oficina acontece na Biblioteca Pública ao lado da estação do metrô.
A oficina foi criada com a iniciativa de voluntários, na intenção de promover uma alternativa de futuro profissional para talentos do local, crianças, jovens e adultos que sem recursos para aprimorar sua técnica, encontraram nesta atividade a possibilidade de sonhar por um futuro melhor.
Lá encontrei o lendário cartunista Broba, ele é um dos monitores da oficina e colabora emprestando seu talento para os inúmeros alunos.

Um comentário:

Universidade dos Quadrinhos-DF disse...

ª Capa
Oficina ensina desenho como profissão

22/09/2008


Alunos aprendem novas técnicas de desenho


Emanuelle Coelho

Uma oficina de desenho e multimídia está agitando a garotada de Ceilândia. Ministradas na biblioteca pública Carlos Drummond de Andrade, as aulas atendem, gratuitamente, uma média de 60 alunos.
Edmilson de Melo e Silva, um dos professores voluntários do curso, conta que a turma começou com 15 alunos. “Com a divulgação, foram aparecendo mais estudantes interessados, e a biblioteca nos disponibilizou um espaço maior”, sentencia o professor.
As aulas acontecem aos sábados, das 8h às 12h, onde os estudantes aprendem cartoon, perspectivas, história em quadrinhos, construções geo­métricas para o desenho e técnicas de desenho do corpo humano. Os critérios de seleção são: disponibilidade; estar matriculado na escola; faixa etária a partir de 10 anos; e seleção de habilidades.
Apoio – “A idéia é darmos técnica para eles desenharem, depois irão aprender a fazer desenhos no computador. Queremos mostrar para eles que no computador há várias ferramentas para desenhar e soltar a imaginação”, comenta Edimilson, dizendo que a pretensão é de que as oficinas, que têm duração de cinco meses, se tornem permanentes na biblioteca. “Estamos enviando projeto à Secretaria de Cultura para ganharmos apoio e desenvolvermos o trabalho, além de Ceilândia, em outras cidades, como Taguatinga, Samambaia e Estrutural”, destaca.
Com a expansão, a meta é de que sejam atendidos mil alunos. “Queremos entrar nesse processo sabendo que essa pode ser uma profissão para eles”.
O professor Edmilson diz que acredita que se o conceito se torna prática facilita o entendimento. “A escola não trabalha de forma interativa. Acredito que se o professor de artes fizesse essa interação com a matemática seria mais fácil o aprendizado”.
E a iniciativa tem aprovação dos participantes. Há um mês freqüentando as aulas, Paulo Henrique, de 19 anos, está aprendendo novas técnicas de desenho. “Podemos aperfeiçoar no desenho, nos capacitando e até conseguirmos um emprego na área”, diz o estudante.
A biblioteca – Inaugurada em 1993, a Biblioteca Pública Carlos Drummond de Andrade é uma instituição de utilidade pública cultural, regulamentada pelo convênio de cooperação entre a Administração Regional de Ceilândia, a secretarias de Educação e de de Cultura.